Tudo sobre gravidez psicológica

0

A gravidez psicológica pode acontecer em qualquer mulher, especialmente àquelas que passam por uma pressão emocional em relação à gestação. Por um lado, é possível ocorrer em mulheres que desejam muito engravidar e que estejam em fase de tentativa. Por outro lado, pode acontecer com mulheres jovens, que têm um medo intenso de uma gravidez indesejada.

Seja como for, é difícil detectar uma gravidez psicológica no início, pois os sintomas e sinais são os mesmos de uma comum. Ademais, é necessário que a mulher receba um focado apoio psicológico ou psiquiátrico, visto que as causas desse tipo de gravidez estão inteiramente ligadas à condição psíquica da mulher e de seu estado emocional.

Tudo isso mostra quão poderosa é a mente humana, pois o corpo é capaz de fabricar sintomas de uma gravidez, mesmo quando isso não reflete a realidade. Então, o aparecimento desses sintomas é motivo de um tratamento psicológico tanto quanto as causas, pois são fatores que mexem muito com a mulher e com a família. O tratamento é especialmente recomendado em casos de transtornos de depressão.

Além do crescimento da barriga como o sintoma mais visível, é preciso somar a isso os enjoos, incômodos, desejos e hormônios alterados. Até mesmo os sinais físicos de uma gravidez podem afetar a vida da mulher e de seu companheiro, bem como toda a família.

Veja a seguir em detalhes o que é gravidez psicológica e suas possíveis causas. Saiba mais sobre os sintomas, inclusive o crescimento da barriga e quais são os melhores, mais adequados tratamentos para esse tipo de gravidez.

O que é a gravidez psicológica?

Segundo os médicos, a gravidez psicológica trata-se de um momento na vida da mulher onde, por razões emocionais, ela desenvolve os sintomas clássicos que são relacionados à gestação. Contudo, não há, de fato, um bebê em formação, não à toa, essa condição também é chamada de “gravidez fantasma”.

O que pode causar a gravidez psicológica?

Como o próprio nome sugere, a gravidez psicológica tem suas raízes nas emoções. Mulheres com intenso desejo de serem mães podem sofrer dessa condição. Já aquelas que possuem a emoção oposta, isto é, o medo de engravidar, também podem passar pela gravidez fantasma.

O que pode causar a gravidez psicológica
Fonte/Reprodução: original

Disso é possível concluir que a principal causa está nas emoções extremas, seja pelo desejo de ter, ou não, um filho. O medo em relação à infertilidade, que pode gerar distúrbios depressivos, também está entre os motivos.

Além disso, também é preciso mencionar os históricos de trauma, que podem ser causas primárias de uma série de problemas emocionais e ocasionar impacto na vida da mulher ao longo dos anos, culminando em uma gravidez psicológica.

Sintomas que pode apresentar a gravidez psicológica

Por mais estranho que pareça, em um estado de gravidez psicológica, a mulher acredita piamente que um bebê está a caminho. A partir daí, a mente faz com que o corpo “fabrique” todos os sintomas:

  • Sono constante
  • Enjôos matinais
  • Menstruação interrompida
  • Hormônios alterados
  • Ganho de peso
  • Aumento ou perda de apetite
  • Desejos
  • Sensação física do feto em movimento
  • Crescimento da barriga

Não é o caso onde ela possa enganar alguém, pois o engano é dela mesma, gerado de uma crença firme de que está grávida. A crença é tão poderosa, que o emocional atinge o físico, o que é visto na alteração hormonal e seus sinais.

Crescimento da barriga na gravidez psicológica

Assim como existem doenças psicossomáticas que causam sintomas físicos, a gravidez psicológica também afeta todo o corpo da mulher, o que inclui o sistema hormonal e, por consequência, o reprodutor.

No caso da barriga, o que ocorre é uma produção maior de prolactina, o que pode causar uma distensão no intestino, com gases. Com isso, a barriga incha, de forma que se pareça como nos primeiros meses de gravidez, onde o abdômen cresce e ganha curvatura.
O mesmo hormônio pode influenciar até mesmo a produção de leite, o que apenas contribui para que a mulher tenha dificuldade de acreditar que não está grávida.

O próprio aumento de peso, que pode ocorrer por causa das alterações no apetite, também contribui para o crescimento da barriga. Em suma, há uma conjunção de fatores, que vão desde as alterações hormonais até a qualidade da alimentação que atuam para que a mulher pareça grávida. Esse fator é um dos mais difíceis de lidar, pois é complicado não acreditar em algo que está literalmente visível.

Como tratar a gravidez psicológica?

Visto que a gravidez psicológica é uma condição que atinge a mulher desde o seu mais profundo emocional, de forma que os sinais surgem no corpo, é necessário fazer um tratamento multidisciplinar, no sentido de que não basta apenas controlar o fluxo hormonal. É necessário buscar ajuda profissional, com o médico e com um terapeuta.

Como tratar a gravidez psicológica

Fonte/Reprodução: original

Terapia

Existem relatos que tratam de pacientes, as quais passaram pela gravidez fantasma, que não acreditaram que tudo era psicológico, mesmo diante do resultado negativo nos exames. Nesses casos, a terapia é praticamente obrigatória.

Obviamente, é necessário abordar com muita paciência, amor e sensibilidade, mas o tratamento psicológico deve ser feito o quanto antes.

Através das sessões de terapia, a mulher terá espaço para se abrir e um lugar seguro para descobrir as causas de sua gravidez psicológica.

Controle de ansiedade no desejo de engravidar

Um psiquiatra pode ajudar a mulher a controlar a ansiedade, que pode ser causada por diversos motivos, desde o desejo intenso de engravidar até a própria pressão da família ou sociedade.

Além do tratamento psicológico, é possível lançar mão de remédios, devidamente controlados, ou de medicações naturais, alternativas. O uso contínuo de chás, como alecrim, valeriana e maracujá valem a pena.

Florais também são interessantes, assim como terapias alternativas, como acupuntura, massagens, entre outras. A prática de exercícios meditativos também é muito usada para lidar com os piores sintomas da ansiedade.

Menopausa ou infertilidade precoce

Alguns casos de gravidez fantasma decorrem de um problema de fertilidade ou a mulher já tem uma idade onde a gravidez é mais difícil. Nesses casos, o ideal é ir direto ao ginecologista e buscar tratamentos de fertilidade.

A maior parte do tratamento nesses casos envolve terapias de reposição de hormônios.

Problemas conjugais

Por mais que a causa direta mais comum à gravidez precoce seja o desejo intenso de engravidar ou de não engravidar, essa emoção pode ter uma raiz em traumas de relacionamento. Problemas conjugais passados podem ser uma causa de ansiedade quanto à gravidez.

De fato, qualquer relacionamento amoroso tóxico, que terminou em abandono, também pode contar como um possível gatilho para que todos os sintomas sejam desencadeados.

A gravidez psicológica é um momento na vida da mulher onde ela se encontra muito vulnerável, tanto física quanto emocionalmente. No caso das mulheres que desejam muito ter um filho, a vontade e ansiedade são tamanhas que elas criam uma fantasia vívida, a ponto de exibir sinais de gravidez. Já para as mulheres que possuem um medo intenso de engravidar, os sintomas também podem aparecer.

Em conclusão, é o cuidado das emoções, da área mental, que deve ser priorizado nessas horas. Tanto a mulher que passa por isso quanto os familiares e amigos próximos devem enfrentar a gravidez psicológica com muita atenção, empatia e sensibilidade. O apoio familiar é vital nesse momento, especialmente para que a mulher seja curada e, em outra oportunidade, seja capaz de vivenciar por inteiro a alegria que é ter um filho.

Deixe uma resposta